segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Renascimento das Fórmulas no Brasil

Enquanto a Fórmula 3 e a Fórmula Futuro agonizam com seis a oito participantes por prova, do outro lado do Orçamento e mais na base da propaganda boca-a-boca (Ou blog-a-blog, sei lá), temos duas competições que praticamente simbolizam o renascimento das Fórmulas de base no Brasil.

A primeira é a Fórmula Gaúcha 1.6, que praticamente teve uma performance de Fênix. Em 2010, amargava nada mais do que 10 participantes em velhos Fórmula Ford; Pois na última prova que ocorreu este ano, no Velopark, nada menos que 20 carros alinharam na Reta de Largada. Veio gente até do Tocantins pra correr!



A receita? Com o fim da Fórmula SP, os pilotos paulistas não tinham mais onde correr, e como os custos da F-Gaúcha eram metade dos da F-SP, isso atraiu pilotos paulistas. Houve também uma busca frenética por pilotos e carros espalhados Brasil afora, bastante propaganda informal, o que atraiu bastante gente, disposta a encher o grid em 2012. Até mesmo os Fórmula Chevrolet, que não davam as caras havia anos, foram adaptados para a F-Gaúcha. E, dada a demanda, a Minelli Racing vai retomar a produção de monopostos especialmente para a categoria. A F-Gaúcha tem tudo para se estender além do RS (Onde, reitero, há quatro autódromos) e alcançar o resto do Sul e o estado de SP ano que vem.


A segunda é a Copa Mobil de Fórmula Vee ("Fórmula Vê", para os saudosistas), que ressurgiu do nada. Tudo veio do zero: Carros novos, motor novo, regras novas. Mas mantendo aquele espírito "garagista": Os carros são vendidos em forma de kit para montagem, a um preço super acessível (para os padrões de esporte a motor, lógico), as regras não permitem mudanças em relação ao motor original, o que barateia ainda mais os custos, e as corridas são em Piracicaba, no autódromo do ECPA.
Pra quem sai do kart, é um prato cheio!

Custo, essa é a chave. Quanto menor o custo em relação ao benefício, quanto menos os pilotos e as equipes precisarem tirar do bolso para poderem competir, mais pilotos e equipes se apresentarão para correr. Adicione bastante propaganda e temos aí duas Fórmulas que com certeza ajudarão muitos pilotos brasileiros a darem os primeiros passos fora do Kart, no caso dos novatos, e a não "enferrujarem", no caso dos veteranos.

Que essas duas fórmulas de sucesso se espalhem por todo o Brasil, para que tenhamos esperança de ver, um dia, um piloto campeão de Fórmula 1 novamente.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir